Prioridade para o mar: a visão de um estrangeiro

Eu acho que um dos nossos problemas é queremos fazer as coisas da forma mais dificil e ignorar o óbvio.
Esta (re)lembrança do nosso presidente que o mar deve ser (um dos) nossos designios é um pouco o exemplo disto.

Na verdade até nem percebo qual o espanto na sugestão de Cavaco Silva, bastava ter acompanhado já há um ano os posts do meu colega de blog Luis Moreira com a sua série sobre o hipercluster do mar.

Mas isto é tão evidente que na semana anterior a esse discurso, falava eu com Micael Gustafsson, Managing Director da Oresund IT a propósito de Tecnologias de Informação e como elas podem servir de alavanca a outras indústrias e ele referia com algum espanto:

“why do you not combine marine research with ICT research and maybe with creative industries to find some new things… that is something that we have been working a lot in the Oresund region for the last four or five years, trying to combine different sectors”.

A resposta é a habitual… era muito fácil.

(publicado também no Aventar)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *