Sotaques

Num dos últimos “É o que eu vos digo” de Álvaro Costa sugeria a criação de um Morangos com Açucar no Norte para que os actores nortenhos não tivessem que ir para Lisboa aprender a falar sem sotaque (ou se preferirem com sotaque lisboeta).

De facto é curiosa a quase uniformização do sotaque que nos entra pelas rádios e televisões generalistas. E eu acho que é uma pena.

No último ano por razões profissionais tive que trabalhar em Aveiro, Bragança, Lisboa, Guarda e Porto e desde dá dois meses estou a trabalhar em Braga e uma das coisas que acho mais interessante é ouvir os diferentes sotaques que cada região tem bem como as diferentes expressões que são usadas.

Não sou nenhum especialista na área e por isso não consigo explicar essas diferenças mas tal como quando eu começo a falar provavelmente denuncio a minha origem, a verdade é que em cada uma dessas regiões onde estive consegui sempre detectar diferenças na entoação das frases e mesmo na sua construção.

Certamente que em alguns casos mais do que sotaques o que se passa é mesmo as pessoas não saberem falar… um pouco como não sabem escrever… mas de qualquer forma viva os sotaques!

E por falar em sotaques, ou neste caso mais especificamente o som das cidades, fiquei outro dia a conhecer  o estudo / projecto “As paisagens sonoras dos Centros Históricos de Coimbra e do Porto: um exercício de escuta” (via AvenidaCentral). Excelente recolha sonora das cidades.

(actualização 5-maio-2009)
reencontrei um link perdido para um projecto que achei muito interessante: Mapa sonoro – Cinco Cidades

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *