Formação com Alexandre Monteiro

Continuando com o plano de formações que a Samsys disponibiliza, tivemos no dia 4 de maio a oportunidade de ter uma sessão com Alexandre Monteiro sobre Linguagem Corporal.

É um tema interessante mas que com a popularização da serie “Lie to me“, bem como com uma leitura algo excessiva que algumas pessoas fazem com as suas técnicas, ficou também um pouco descredibilizada.

Há alguns pontos que nunca é demais esquecer sobre esta questão de interpretar o que uma pessoa está a sentir a partir de das suas expressões.

Talvez o mais importante é que é preciso conhecer a “baseline” da pessoa… se calhar aquele esgar que a pessoa faz é só um tique e não tem mais nenhuma leitura. Da mesma forma, o facto de identificarmos algo que a pessoa não está a verbalizar não nos dá o direito de a confrontar com essa eventual incongruência, pode acontecer essa pessoa estar inclusivamente num processo de auto-conhecimento e/ou auto-convencimento sobre esse tema.

Ainda assim este tipo de análise é interessante e no limite poderíamos dizer que mesmo que queiramos deixar o tema mais específico das micro-expressões para especialistas, a análise mais macro dessas expressões é uma técnica muito interessante para as diferentes vertentes da nossa vida, seja profissional, como técnico, administrativos ou comerciais, ou simplesmente para a nossa vida familiar.

Se mais de 60% ou 70% da nossa comunicação é não verbal, percebe-se a importância que ela tem nos diferentes relacionamentos que temos.

E na vertente empresarial, onde muitas vezes precisamos de criar raport rapidamente com alguém, torna-se importante nós próprios sabermos que tipos de comportamentos nos vão ajudar.

Embora em alguns contextos esta criação de raport possa estar conotada com algumas situações menos simpáticas (que normalmente são puramente imorais e por isso não devem ser usadas) em muitas situações elas são absolutamente fundamentais.

Por exemplo, no âmbito do desenvolvimento de software, se estou numa reunião de definição de requisitos, e estou a falar com o principal destinatário desse software e não consigo estabelecer uma boa relação de confiança com ele isso vai-se refletir não só numa maior dificuldade no processo de desenvolvimento mas normalmente na própria qualidade final do software.

Nestas situações, muitas vezes, a empatia é mais importante que a competência.

Tal como o Ricardo Peixe falou do seu modelo FAST (Fun, Action, Strategy e Team ) onde agrupa as pessoas de acordo com a sua predisposição dominante, o Alexandre Monteiro também apresentou uma abordagem para nos ajudar a perceber como podemos mais facilmente encontrar um ponto de sintonia com a pessoa com que estamos a falar.

Ele identificou quatro características, que são Pena, Admiração, Poder, Inteligência. De acordo com a sua abordagem, ao identificarmos com que característica o nosso interlocutor se identifica mais, poderemos criar um diálogo que promove uma maior ligação entre as partes.

A formação com o Alexandre Monteiro foi muito interessante e ficamos com a sensação que poderíamos ter ficado mais algumas horas a ouvi-lo e esclarecer algumas das dúvidas que foram surgindo.

Uma confirmação da excelente intervenção que ele já tinha deixado no Dia do Cliente de 2017.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *