Só posso dizer que fiquei muito bem surpreendido com algumas das apresentações de hoje, no mosteiro São Bento da Vitória, no evento Porto Living the Future, principalmente no que diz respeito a apresentações relacionadas com a utilização de dados da cidade e pela cidade.

Das coisas que mais gostei de ouvir foi o grande alinhamento, quer do vereador da inovação e ambiente Filipe Araújo, quer de Vitor Martins (como coordenador de projetos de análise de dados na CMP) no que diz respeito à importância não só de recolher dados, de forma a gerir de forma mais eficaz a cidade, mas também de os disponibilizar como Opendata aos cidadãos.

futurecities

Não foi detalhado nenhum roadmap para está implementação, também não era o sítio para isso, (quem sabe se querem vir ao O Porto em Conversa falar disto) mas é bom ver que ideias que vemos implementadas lá fora há alguns anos, e que vemos em experiências mais lo-fi em Portugal (por exemplo demo.crática ou geodevoluta ou outros que podemos encontrar no Cidadania 2.0) estão já a ser seguidas dentro das próprias instituições que têm os dados e a capacidade para os capturar e gerir.
Update: http://opendata-pt.blogspot.pt/ blog mantido por Filipe Cruz no âmbito de documentar pesquisa conduzida a nivel pessoal do que anda a ser feito relativamente ao movimento Open Data em Portugal.

E não esquecer de explorar também o projeto sense my city.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *