Debater o Porto 2009

Tinha que comentar o post do Luis Gomes na “Baixa do Porto2 “Debater O Porto 2009“…
Ora aí está uma boa ideia na qual eu também já tinha pensado.
Deixo algumas notas só para enquadrar as potenciais dificuldades na realização desses eventos.
Não é para desmotivar mas só para definir o contexto base em que alguém que queira organizar isso tem que operar.
1. Descobrir pessoas que têm ideias interessantes a apresentar – como queremos ter a participação de pessoas que já pensaram sobre os assuntos e que têm ideias a apresentar é necessário fazer algum trabalho de pesquisa para perceber onde estão essas pessoas e ver se elas estão disponiveis para falar em público.
2. Contactos – depois de saber quem queremos convidar é preciso conseguir chegar à fala com essas pessoas. Pode ser algo mais ou menos dificil
3. Organização – é necessário ter um local para por essas pessoas, garantir datas compativeis entre todos os convidados e depois gerir o debate – provavelmente o Clube Literário do Porto que tem dado um grande apoio a nivel de disponibilização de espaço poderia ser uma hipótese
4. Tipo de debate – queremos um debate técnico, politico, amador? queremos só ouvir os convidados a expor ideias ou queremos fomentar a troca de ideias? e como conseguir cada um desses objectivos
5. +Debates? – eu não acho particularmente mau repetir debates sobre alguns temas até porque a maior parte dos temas que propôs são referentes a coisas que existem continuamente na cidade e não propriamente fechados no tempo mas convém recordar que tem havido já alguns debates sobre o porto desde o “olhares cruzados” da catolica, às tertulias do palacio das artes e outros debates mais pontuais promovidos por algumas associações como a Plateia (ver debate sobre politicas culturais a proposito das eleições europeias) e a Campo Aberto / ADcPorto (debate sobre o projecto de remodelação do palacio) e tantos outros… Às tantas chegamos aquele ponto em quem como me dizia uma pessoa quando lhe apresentei a ideia da sessão politica aberta no porto – europeias “já estamos fartos de debates, queremos é que se façam coisas”.
6. Timing – outra questão importante tem a ver com o timing, não sei se o que propõe tem só a ver com a “preparação” para as autarquicas… na minha opinião tão importante como debates pre-eleições são debates durante os mandatos. a oportunidade de influenciar quem decide e de apresentar ideias não deve ficar limitada a estes 6 meses anteriores às eleições, tem que ser (na minha opinião claro) um processo continuo até para ir evoluindo as ideias que são apresentadas.

Resumindo, eu estou disposto a ajudar na realização desses debates, acho que seria uma iniciativa muito interessante.

por Vitor Silva



Leave a Reply