Fim mesmo

Se contarmos as salas do bom sucesso e o dolce vitta das antas, já há muito tempo que o porto não tinha tantas salas de cinema abertas, mas por alguma razão elas não sabem a salas de cinema, pelo menos para aquela última geração de pessoas que ainda viu cinema no Aguia D’ouro, Batalha, S. João, Carlos Alberto e tantos outros… como o Cinema do Terço.

Embora já estivesse fechado desde 2003, o edifício, provavelmente cada vez mais degradado, pelo menos a julgar pelo cheiro que quem passava em frente facilmente notaria, ainda lá continuava.

E se calhar continuava a eventual esperança de que fosse possível recriar o ambiente que Mario Dorminski retratou numa entrevista de 2003 ao JUP: “Nessa altura ir assistir a um filme e namoriscar, no intervalo, no jardim do Terço, era tão natural como ir beber um café ao «Pereira» e passear no jardim do Marquês. Lembro-me que, nos meses de Verão, o cinema tinha exibições diárias ao ar livre, diferentes todos os dias.”

Mas esses romantismos já não parecem caber nos dia de hoje, se é que alguma vez couberam. E assim, para obras de “demolição, escavação e sustentação” o Cinema do Terço bem como outros equipamentos desportivos que existiam num terreno anexo foram abaixo.
Não sei o que vai ser construído mas imagino que não seja difícil dar um melhor aproveitamento do que o que estava a ser feito actualmente.

por Vitor Silva



3 Comments

  1. Jose Maria Leitao wrote:

    Olá,
    É com agrado que leio a sua menssagem/observação. Realmente o CINEMA DO TERÇO, foi encerrado no dia 30 de Abril de 2003. Fechamo-lo, porque dava muito prejuízo, e estava a levar à falência a Instituição, sua proprietária. o INSTITUTO PROFISSIONAL DO TERÇO, que esteve para ser fechado em 30 de Março de 2003, sem que ninguém desse por isso. Ninguém se interrogou que seria feito dos 59 educandos que alberga. A imprensa não fez essa divulgação. Mas um grupo de pessoas de bem pelas crianças tomou conta da Instituição, zelou pelas crianças, e ao ver a ruptura em que se encontrava o cinema, decidiu e bem, pelo seu encerramento. Foi arrasado, e para sua informação, nesse mesmo lugar, vai nascer ainda este ano, um PARQUE DE ESTCIONAMENTO, E UM PAVILHÃO DESPORTIVO, para garante do sustento dos 65 jovens dos quatro aos vinte anos. que a Instituição alberga, cuida e educa, sem qualquer pagamento, porque não têm apoio familiar, e provêm de famílias desestrururadas, e muito pobres.
    Mais uma vez o INSTITUTO PROFISSIONAL DO TERÇO, vai devolver à cidade do Porto, mais um espaço de lazer, em que os portuenses se sentirão Orgulhosos, de terem um Pavilhão de desportos moderno, e a vida voltará ao Marquês, onde poderão voltar a namorar, porque vai ter espaço suficiente, para os seus lazeres, mas desta vez em forma de desporto.
    Conviduo a visitar a Instituição, para ver que felizes estão as nossas crianças, e peço-lhe que se faça sócio da Instituição, para assim podermos ajudar ainda mais estas crianças. Pode ver o nosso site http//ipterco.com.sapo.pt/
    Obrigado,
    José Maria Leitão
    Secretário da Direcção do Instituto Profissional do Terço.

  2. Jose Maria Leitao wrote:

    Mais uma vez tenho que pegar no seu tema. è o JARDIM DO MARQUÊS. Esse jardim que marcou a minha infância, dos sete aos dezassete anos, mais própriamente, porque depois fui para Lisboa.
    Esse meu querido jardim que tanto admiro, que em criança, fiz as delícias de quem passava, aos Domingos de manhã, lá saíam os “RAPAZES DO TERÇO”, todos muito bem aprumados com a FANFARRA DO TERÇO, que davamos a volta ao jardim a tocar, e todo o trânsito parava, para nós passarmos, porque a meta era em frente ao ASILO PROFISSIONAL DO TERÇO, para hastear a Bandeira Nacional, na fachada da Instituição.
    Como era bonito,visto por mim, elemento da fanfarra, também capitaneada por mim, ver tanta gente parada e em respeito à MARCHA DE CONTINÊNCIA, para o hastear da bandeira, e quando o fazíamos tudo parava. Lembro-lhe que nessa altura, anos de 60, havia trânsito nos dois sentidos do jardim. dois sentidos no lado de Stª Catarina, e dois sentidos no lado do Terço. Pois como lhe digo, tudo parava, para nós passarmos, e não era preciso a polícia a parar o trânsito, bastava um de nós, (Rapazes do Terço).
    Como lhe digo, adoro esse jardim, que para mim é e sempre será o mais belo, e é com Orgulho que o vejo do alto do Instituto Profissional do Terço, que vou à varanda mais alta da Institução e vejo mesmo o Jardim, com toda a sua essência.
    POR FAVOR PRESERVEM BEM ESTE JARDIM DO MARQUÊS, pois já é referência pela permanência dos “VELHOTES A JOGAR CARTAS” (desculpem a expressão, mas é mesmo assim que ouço falar do meu/nosso belo jardm).
    Já vi o nosso jardim de várias formas, sendo jardim é sempre lindo………
    Obrigado,
    José Maria Leitão
    Secretário da Direcção do Instituto Profissional do Terço

  3. Sérgio wrote:

    Espero que agora e com a ausencia do Sr. Arcilio o Terço cresça. Era o Sr. Arcilio “BUDA”, como era conhecido, que devia estar ao lado do BiBi na Casa Pia.

Leave a Reply