Etica Prática – notas leitura 3

pag.104
…podemos encarar a doutrina da santidade da vida humana simplesmente como forma de dizer que a vida humana possui um valor especial, um valor bastante distinto do valor da vida dos restantes seres vivos

pag.105
…a inadequação total de princípios mais restritos que limitam o respeito pela vida a uma tribo, raça ou nação é um dado adquirido

pag.106
o que é um ser humano
facto biológico => membro da espécie homo sapiens
Joseph Fletcher – indicadores de humanidade => autoconsciência, autodomínio, sentido do futuro, sentido do passado, capacidade de se relacionar com os outros, preocupações pelos outros, comunicação, curiosidade => confrontar com embrião, feto, deficiente mental, recém-nascido
John Locke => “ser inteligente e pensante dotado de razão e reflexão e que pode considerar-se a si mesmo aquilo que é, a mesma coisa pensante, em diferentes momentos e lugares”

pag.108
…dar preferência à vida de um ser apenas porque esse ser é membro da nossa espécie por-nos-ia na mesma posição que os racistas, que dão preferência aos membros da sua própria raça.

gregos/romanos => escravos, bebés

pag.109

…platão e aristóteles pensavam que o estado deveria impor a morte a crianças deformadas

cristianismo – motivação teológica – imortalidade, corpo como propriedade de deus / animais sob dominio dos seres humanos

pag.111
valor da vida – se sou pessoa, tenho um conceito de mim próprio. sei que tenho futuro, também sei que aa minha existência futura pode ser interrompida. se eu pensar que é provável que isso aconteça a qualquer momento, a minha existência ficará repleta de ansiedade e será presumivelmente menos agradável do que se eu não pensar que é provável que aconteça.

pag.112
R.M.Hare – distinção entre dois niveis de raciocinio moral: intimo e critico

pag.113
intimo => Hare pensa que seria melhor adoptarmos alguns principios éticos gerais para a vida ética quotidiana => principios morais canónicos
Se nos guiarmos por um conjunto de principios intuitivos bem escolhidos podemos proceder melhor se não tentarmos calcular as consequências de todas as escolhas morais imporantes que temos de fazer, considerando, em seu lugar, quais os princípios a aplicar e agindo em consequência.

pag.114
utilitarismo das preferências – um acto contrário à preferência de qualquer ser é um mal, a não ser que essa preferência seja suplantada por preferências contrárias.

pag.115
preferencia ser humano vs outras espécies – seres que não se podem ver a si mesmos como entidades com um futuro não podem ter quaisquer preferências relativas à sua existência futura.

pag.118
Michael Tooley – para ter direito à vida é preciso ter, ou pelo menos, ter tido alguma vez o conceito de uma existência contínua

pag.119
respeito pela autonomia

pag.120
…vimos que pode haver quatro razões possíveis para defender que a vida de uma pessoa possui um certo valor que a distingue da vida de um ser meramente senciente: a preocupação do utilitarismo clássico com os efeitos que uma morte pode provocar nas outras pessoas; a preocupação do utilitarismo de preferências com a frustração dos desejos e dos planos para o futura da vítima; o argumento de qe a capacidade de se conceber a si próprio como algo que existe ao longo do tempo constitui uma condição necessária do direito à vida; e o respeito pela autonomia.


Nome: Ética Prática
Autor: Peter Singer
Editora: Gradiva
ISBN: 972-662-723-0

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *