O Progresso

pag.199 “(…) Embora esgotada, a ideia de progresso, como qualquer outra dotada de uma dimensão mítica, sobreviva à sua morte especulativa numa retórica que se explica pelo humano desejo de ilusões colectivas. O apelo ao progresso alimenta esperança, proporciona uma certa inteligibilidade da realidade social e justifica as nossas poucas decisões. Do progresso, morreu o […]

Desmoralização da responsabilidade

pag 173 “A extensão do seguro tem a sua contrapartida numa particular «desmoralização» da responsabilidade. Em sistemas complexos, para lá de certos limites, a imputação de responsabilidades tem um carácter fictício, torna-se difusa. (…) Há uma incongruência especificamente moderna entre as consequências técnicas e sociais das acções, por um lado, e a «culpa», por outro. […]

A incerteza

pag 158 “(…) A crescente complexidade do mundo não é facilmente entendível pelo indivíduo. As experiências de incerteza não são compensadas pelo aumento de informação, antes frequentemente se intensificam na mesma medida em que se dilata o espaço de informação acessível. Surge o aparente paradoxo de o mundo ser mais estranho para quem tem mais […]

O mediatismo

pag.140 “(…) as notícias não nos informam do que acontece, mas do que outros consideram importante; não falam de gente famosa, mas fazem famosos aqueles que de quem falam. Portanto, os meios de comunicação não nos informam dos acontecimentos mas sim de observações. Por isso, aquilo que acontece tem de ser «mediático» para poder acontecer. […]

Invisibilidade

pag. 64 (…) A invisibilidade é o resultado de um processo complexo no qual confluem a mobilidade, a volatilidade, a fragmentação e as fusões, a multiplicidade de realidades inéditas e o desaparecimento de blocos explicativos, as alianças insólitas e a confluência de interesses dificilmente compreensíveis.(…) (…) Recordam-nos com frequência que o mundo é como uma grande rede, […]