O Jardim do Marquês

Como utilizador diário da estação de Metro do Marquês tenho o privilégio de passar pelo seu jardim pelo menos duas vezes por dia. De manhã com um andar mais apressado e, ao fim do dia com mais tempo e por isso com mais calma para apreciar o jardim.

Independentemente de achar que o jardim está melhor ou pior do que antes da intervenção do Metro, a minha opinião é que actualmente o jardim do Marquês é um sitio agradável. Finalmente parece que acertaram no tipo de vegetação que deviam por lá e assim o verde já começa a cor dominante.

Uma sugestão no entanto. Porque não abrirem uma passagem directa entre a entrada Norte do Metro e a parte interior do jardim?

Se virmos a imagem em baixo, que representa os percursos interiores do jardim, percebemos que quem vem do lado Oeste do jardim tem que fazer um percurso muito pouco natural para aceder à entrada do Metro. Ou contorna exteriormente todo o jardim, ou então (ainda não descobri qual é o mais rápido) entra no jardim, contorna interiormente o coreto que ainda está no topo norte e volta a sair do jardim para depois então aceder à entrada do Metro.

É um percurso, a meu ver, desnecessariamente complicado e que, podemos argumentar, com mais ou menos civilidade tem sido resolvido pelo simples atravessamento do pequeno jardim que separa o interior do jardim e a entrada do Metro (representado a tracejado).

Como disse podemos olhar para isto como uma simples questão de urbanidade. Mas também podemos encará-la a partir da perspectiva do projecto. Será que quem projectou o jardim percebeu as características da sua utilização habitual? Pelo desenho simétrico do jardim diria que isso não foi totalmente considerado, o que não é drama nenhum se optarem por resolver esse problema.

Durante o último ano vi várias tentativas de resolver essa questão. Primeiro colocando um arame junto à entrada do Metro que impossibilitava a passagem das pessoas, depois envolvendo esse arame com uma fita plástica colorida, provavelmente para lhe dar mais visibilidade e finalmente há uns tempos com a colocação do que me parecem ser umas rosas brancas nessa zona.

Ou seja o que as pessoas que tratam o jardim estão a fazer é tornar um percurso óbvio cada vez mais desconfortável de forma a tentar convencer os seus utilizadores que esta prática, de passar por cima da relva para poupar uns segundos não, é aceitável. Mas eu diria que este diálogo em diferido só irá ter o resultado que quem trata o jardim quer quando puserem algo que seja visto como absolutamente intransponível como um muro de cimento em vez do actual muro verde tipo sebe.

Entretanto vamos tendo um jardim no geral bem arranjado excepto junto a essa entrada onde um conjunto de arames, plástico e relva calcada dá uma impressão geral negativa.

Não era mais rápido e mais barato abrirem simplesmente uma passagem directa entre a saída do Metro e a parte interior do jardim?

por Vitor Silva



Leave a Reply