Iliteracia financeira

A semana passada estava a ler um artigo sobre todas estas histórias recentes com bancos e os seus produtos e como muitas pessoas não percebiam o que lhes era proposto e que agora estão a ser apanhadas de surpresa porque, em alguns casos, pensavam que tinham posto o dinheiro num depósito a prazo e afinal tinham investido num fundo. A isto o jornalista chamava de iliteracia financeira que, embora não dissesse, pressuponha-se que afectasse só os consumidores desses produtos.

A minha dúvida é se ela também não afecta quem está a vender o produto. Será que a maioria desses gestores de conta e afins percebe o que está a vender, como funciona, riscos e oportunidades? Eu como sou muito céptico em relação aos bancos acho que não. Acho que muitas dessas pessoas ficam simplesmente à espera que alguém, de preferência com bastante dinheiro, apareça a pedir para por o seu dinheiro num depósito a prazo ou então naquele produto que o aconselhem, porque confiam nessa pessoa, e não tanto porque conhecem e percebem o que lhes está a ser vendido.

E o meu cepticismo foi ampliado na minha última ida ao banco onde tenho o meu empréstimo à habitação. Esse produto que supostamente deveria ser dos mais simples de construir (por parte do banco) e consumir (pela parte do consumidor) mas que pelos vistos conseguiu arrasar com grande parte da economia mundial este ano.
Fui então ao db porque felizmente consegui poupar um pouco durante este ano e queria fazer uma amortização ao meu empréstimo. Nada de extraordinário, fazer uma amortização não tem grande ciência, é só ter lá o dinheiro pagar uma comissão e está feito.
Mas como eu não gosto muito de bancos (uma das razões são essas comissões em percentagem de valor) eu não queria só fazer a amortização e reduzir ao capital em divida. Aproveitando o facto de, graças ao percurso da euribor ter percebido durante esta ano que conseguia pagar um pouco mais e antecipando um ano que (parece ser) de (bastante) menor taxa de juro queria também reduzir o número de anos do empréstimo.
A minha meta era fazer a amortização e manter o esforço mensal actual que ainda está baseado em taxas de juro altas e desta forma saber quantos anos conseguiria eliminar ao meu empréstimo. Sim, porque isto de pagar 2 ou 3 vezes o capital pedido não faz muito o meu género.
A pergunta à pessoa que me atendeu foi por isso bastante simples: amortizando x euros e mantendo a prestação actual em quantos meses/anos é que reduzo o meu empréstimo? como pergunta bónus tenho 2 empréstimos e queria que eles se reduzissem no mesmo numero de meses. ah e quanto é que vou pagar em comissões.

tentativa1. as comissões é fácil de ver, basta consultar o preçário que temos online. pois eu sei, já me disseram e eu consultei mas fiquei com algumas dúvidas, por isso é que cá vim. ok, vamos então ver o pdf, nós também não temos estes números todos na cabeça, claro que não. dois minutos depois de olhar para o pdf, tem então que pagar 0,5% do capital amortizado mais 4% de imposto de selo, ah, e como quer alterar as condições financeiras do empréstimo tem que pagar mais 150/175€.

tentativa2. quanto ao tempo a reduzir, eu sei que isso é possível que ainda o ano passado fiz isso com um cliente meu, mas saber quanto tempo isso é mais complicado, até porque as taxas de juro desceram bastante neste mês, pois eu sei mas vamos assumir que fico a pagar exactamente o mesmo que pago hoje, o melhor que lhe posso fazer é usar o nosso simulador de empréstimos para tentarmos ver mais ou menos quanto dá, mas mesmo isso não é muito fiável porque o nosso simulador só permite por o período em anos pelo que nunca será um valorm muito acertado.

tentativa3. o que podem fazer mesmo é enviar um mail para a nossa linha directa a pedir essa informação porque realmente nós aqui não conseguimos dar uma resposta melhor. pois, sabe, eu vim cá precisamente porque me pareceu a mim que não percebo nada disto que eram umas contas assim meio esquisitas e queria confirmar se aquilo que tinha calculado estava correcto ou se me tinha enganado é que apesar de tudo estamos a falar da despesa mais representativa do meu orçamento mensal (não disse mas imagino que esteja implicito na maior parte dos pedidos de empréstimo) e, bom, gosto sempre de saber com o que é que vou contar.

tentativa4. pronto envio eu então um email para os nossos serviços internos para eles fazerem lá esses cálculos (marados digo eu) e depois entramos em contacto convosco. espero ter ajudado alguma coisa… não de facto não ajudou grande coisa, não estou a dizer que seja má vontade sua ou que todos os banqueiros têm que saber fazer de cor estas contas estou só a constatar que aquilo que eu cá vim fazer, passado meia-hora, ficou sem resposta objectiva e sendo assim realmente não posso dizer que me tenha ajudado.

2 horas mais tarde lá liga a senhora com a resposta “meramente indicativa”… próximo passo mandar um email com um documento que tenha a nossa assinatura, assim tipo um pdf com o nosso sarrabisco… ou então a fotocópia de uma qualquer instância da nossa assinatura que nós tenhamos deixado num qualquer sitio, sei lá na ficha do ginásio ou parecido… viva a segurança.

Já agora, para referência futura, quem estiver interessado em fazer este tipo de contas pode sempre usar esta ferramenta que permite calcular o prazo após amortização antecipada.

por Vitor Silva



Leave a Reply