definitivamente alter-globalização

quando posso ver as fotos que a minha irmã tirou no dia anterior e me enviou por email desde o interior de áfrica, quando posso falar por telemovel com o meu tio que está em trás-os-montes, quando posso escolher em casa a loja online que vende o livro mais barato, quando em segundos sei o que se passa no fim do mundo ou no fim da rua, como posso ser contra a globalização no que ela tem de bom? eu acho que é impossível.
no entanto não tenho como adquirido que a forma como esta globalização está a ocorrer é a melhor, seja a nivel económico, social ou ambiental e obrigado Peter Singer por neste livro “Um Só Mundo: A ética da Globalização” demonstrares isso mesmo.
O título do livro reflete exemplarmente a mensagem do livro. O mundo é um só e os seus problemas têm que ser pensados de uma forma global, “think global, act local” já diziam os ambientalistas nas décadas de 70/80 e cada vez mais essa necessidade é visivel.
Peter Singer divide o seu pensamento em quatro àreas: ambiente; economia; lei; comunidade; e para além de demonstrar a necessidade de pensar cada uma dessas áreas de forma global/mundial, demonstra também como elas se interligam entre si.
O livro pode por vezes parecer demasiado académico com a profusão de exemplos e referências a outros artigos ou livros mas a explanação exaustiva destes temas agradou-me pessoalmente, já que abordou questões que eu já me tinha posto mas que nunca tinha conseguido responder, nomeadamente a questão do poluidor/pagador, como equilibrar a relação direitos humanos / tradições culturais, relações (normalmente tortuosas) entre economia / ambiente, etc.
brevemente voltarei a este livro, sem dúvida de leitura obrigatória.

por Vitor Silva



Comments are closed.