oliveira

Esta oliveira, bimilenária, pode admirar-se no Concelho de Tavira, Freguesia de Santa Luzia, aldeamento turístico das Pedras D’El-Rei, local antiquíssimo muito próximo da povoação Balsa e onde se têm encontrado muitos vestígios dos povos primitivos e nomeadamente de gregos e romanos.
A oliveira é muito grande. Apresenta uma copa com uma altura de 7,70m ; o diâmetro maior mede 11,80m e o menor 9,82m. O tronco, todo esburacado, tem uma altura de 1,52m de altura e o diâmetro mede 3,60m na base e 2,42 à altura do peito. São precisos 5 homens para abraçar o perímetro deste tronco que mede 7,75m apresentando uma coroa circular como se de uma porta se tratasse com 40cm de largura dando entrada para uma “sala” circular com 1,30m de diâmetro. Ao lado desta porta desenvolveu-se um zambujeiro, planta espontânea em que é usualmente enxertada a oliveira.
Esta oliveira é uma das 142 árvores, isoladas, que estão classificadas pela Direcção-Geral das Florestas como de interesse público.
Lamego alberga a segunda árvore mais velha, do nosso país: um castanheiro (“castanea sativa miller”) com 742 anos, que sobrevive, em muito mau estado e pertence á Irmandade da Senhora dos Remédios.
Bragança tem uma árvore com 700 anos — é a terceira mais idosa do País e pertence à espécie “taxus baccata”. O proprietário deste exemplar é o Albergue Distrital de Bragança.
Na Guarda, há 517 anos que existe um castanheiro, (“castanea sativa miller”), ainda hoje em bom estado.
(retirado daqui)

por Vitor Silva



Comments are closed.